Imagem capa - 25 anos de fotografia com poesia { parte I } por Elisabeth Squinatti & Nei Bernardes

25 anos de fotografia com poesia { parte I }

Estamos comemorando 25 anos de fotografia com poesia, foram mais de mil casamentos,

muitas fotos de aniversários, fotos de formaturas, conhecemos tantas pessoas...

Inúmeras histórias que foram contadas através das nossas lentes...






Os álbuns de fotografias que temos guardados por aqui contém essa trajetória tão bonita,

que queremos, a partir desse post, compartilhar com todos vocês!


Em tempos analógicos, quatro pessoas foram essenciais para que Beth e Nei se encontrassem com a fotografia...

Tadeu, o filho mais velho de Anilda e Olímpio, era um rapaz muito inteligente,

professor de matemática e amante de astronomia e fotografia. 




Fotografia: Tadeu Bernardes



Ele tinha uma câmera que fez as fotos mais bonitas da infância feliz do irmão mais novo: Nei.



Nei Bernardes aos 10 anos. Fotografia: Tadeu Bernardes



Anos mais tarde Tadeu estava em um evento e conheceu Dila e Uilson, fotógrafos vindos de Caxias do Sul

para gerenciar um estúdio na cidade de Taquara (à 20km de Rolante/RS, onde Beth e Nei residem até hoje). 

Desse encontro surgiu uma parceria para fazer vídeos, e foi quando Nei entrou de sócio com seu irmão.


Em 1993, com vinte e cinco anos, Nei já era formado em Contabilidade e ministrava aulas na Escola CNEC,

mesmo local em que ele e Beth estudaram. 

O casal de namorados estava junto nos finais de semana: ele filmando, ela auxiliando e ao,

mesmo tempo, fazendo luz para Dila e Uilson - que foram os seus professores e incentivadores de fotografia. 




Na foto Dila servindo de modelo para Beth fazer testes de fotografia em estúdio.



No primeiro grande trabalho de vídeo que eles iriam fazer, acabaram conhecendo o Moacir - 

dono da empresa Delta Vídeo ( a maior produtora de vídeos da região ), ele se tornou um grande amigo e mentor! 

Trabalhando de freelancer Nei filmou bailes da comenda, casamentos, bailes de debutantes, inúmeras formaturas para Moacir,

e foi lá que conheceu várias pessoas que vamos citar na próxima matéria...






Algum tempo se passou e os novatos resolveram abrir o seu próprio estúdio.

O local que tornaria isso possível foi um terreno localizado no centro da pequena cidade, com uma casinha que nem era

visível quando o espaço foi comprado. Ela media 39m ², e foi dividida ao meio para servir de casa e estúdio! Ficou curioso? 

Vai ter que voltar aqui na semana que vem para conferir ;)



Beth trabalhando com os negativos.



Ainda temos lembranças das mães com suas crianças que vinham caminhando por sobre as pedras gres para fazer fotos de estúdio,

hoje já adultos formados!


O casal  jovem e empreendedor trabalhou muito, muito, muito, e dormiu pouco nessa época.

Tinham expediente por pelo menos três turnos corridos. 

Beth fotografava e editava vídeo, e à noite era secretária na escola CNEC, enquanto Nei era contador e professor na mesma escola

(são histórias e mais histórias de casamentos de ex-alunos que viam no Nei o professor mais maluco). Além disso conciliavam os trabalhos com o vídeo em finais de semana.







Nós temos tanto orgulho por ter passado por cada uma dessas etapas,

que nos fizeram alicerce para construir toda a experiência que temos hoje!




Fotografia: Aline Evelin



Há alguns dias lançamos uma promoção em nossa página do Face e Instagram pedindo para que as pessoas que já foram nossos clientes fizessem uma postagem com uma fotografia de nossa autoria e com isso estariam concorrendo a ensaios fotográficos

(a promo encerra no dia 31/03. Se quiser saber mais clique aqui.)… 

Já demos muitas risadas lembrando de cada um daqueles momentos!


Estamos vivendo essa fase que é de consolidação.

Atualmente reunimos técnica e prática com a energia e disposição de 25 anos atrás, como se fosse o nosso primeiro evento! Procuramos a cada dia nos reinventar porque viver "fora da zona de conforto" é o que mais nos motiva! 



Hoje comemoramos 25 anos de trabalho, muito gratos  pelo Tadeu, irmão do Nei, ser um entusiasta.

Um acaso ele ter encontrado a Dila e o Uilson, uma alegria nós termos cruzado o caminho com eles e com o Moacir! 


Desejamos que cada um de vocês que aqui nos lê tenha toda sorte que nós tivemos 

e faça as escolhas que vão dar orgulho algumas décadas depois. 

Muito obrigada! 



Texto: Aline Evelin

Pesquisa: Beth Esquinatti

Colagem: Katiane Schmitt