Imagem capa - Porque casar depois de 20 anos de namoro? por Elisabeth Squinatti & Nei Bernardes

Porque casar depois de 20 anos de namoro?

                                                                         

A Márcia e o Chico casaram no dia 14 de novembro de 2016, com uma história que mexeu conosco de uma maneira bem especial! A celebração aconteceu no dia em que comemoravam 20 anos de namoro, uma data linda que marcou para sempre um casamento que, ao mesmo tempo, foi uma Bodas de Porcelana, então nada melhor do que a palavra que eles inventaram para a identidade: Casabodas!







Depois de convidar eles para a matéria, recebemos a história relatada pelo Chico, que ao longo de todos os preparativos para o casamento foi o “noivo mais noiva que já conhecemos!”  Explicando melhor, ele sonhava mais do que a Márcia com esse grande dia (mas claro, aos poucos o coração dela acabou ficando super envolvido em cada detalhe)!







Então, embarquem com a gente nessa linda história que nos faz entender porque duas pessoas que já estão super bem resolvidas juntas resolvem casar!

Começamos nosso relacionamento (ainda não era namoro) logo após nosso primeiro beijo (foi "amor ao primeiro beijo", pois sentíamos que já nos conhecíamos...que não tinha sido novidade...que já havíamos nos encontrado assim antes...muito louco isso!!!). Cerca de 6 meses depois do primeiro beijo, recebo um telegrama (isso mesmo, um telegrama - que guardo até hoje) da Márcia desejando um "Feliz Dia dos Namorados" e nesta data eu disse, e recebi, o primeiro "Eu te amo". Legal, mais uma vez! A partir daí, sabia que tinha encontrado a minha última namorada e que teríamos uma história muito linda pela frente.






Ela, toda regrada em tudo: alimentação, nada de bebidas alcoólicas, extremamente responsável e compenetrada nas coisas dela (colégio, faculdade e trabalho). Eu, mais "tranquilo" quanto a tudo isso... Com o passar do tempo fomos nos "misturando" e ficando mais parecidos..."pegando" um pouco das coisas boas do outro. Um foi ficando mais saudável e responsável e a outra, "se permitindo mais".
Lá pelos anos 2000, a Márcia morava em Santa Cruz - e se formou na Universidade onde trabalho atualmente. Uma coisa engraçada dessa época é que a Márcia morava num pensionato para moças e para nos comunicarmos usávamos o "orelhão" da frente da pensão para conversar. Quando instalaram o telefone fixo no apê que eu morava, eu ligava para o orelhão (da rua) e sempre tinha uma das moradoras para atender e chamar a Márcia.







Tem sido assim nestes 20 anos de amor; muitas histórias e, principalmente, parceria e companheirismo. Lembramos que ao completarmos 10 anos de namoro, resolvemos noivar! Foi muito legal porque foi no dia do aniversário da Márcia – 07/07/2006.


Estes sentimentos (parceria e companheirismo) foram fáceis de perceber nos momentos em que estávamos separados (outro capítulo da nossa história). Quando estamos em viagem de trabalho ou passeio e passamos por um lugar legal - um bom restaurante, um barzinho legal, uma cidade legal...costumamos pensar: "como seria legal se a Márcia/ou o Chico estivesse aqui..."

Ela é a pessoa que eu gostaria que sempre estivesse comigo nos melhores momentos, lugares, situações...meio piegas, mas sem ela não tem muita graça...rsrsrsrs!


Sempre que viajamos, onde quer que seja ou qualquer café ou padaria que vamos juntos, não importa o lugar nem a sofisticação deste; sempre aproveitamos muito a companhia um do outro.

Agora, praticamente, temos os mesmos gostos e hábitos. Sabemos por antecipação o que o outro está pensando ou planejando só no olhar!! Nos tornamos muito parceiros e companheiros! Como a gente mesmo diz: "Somos muito conectados"! Não penso em outra pessoa para fazer a maioria das minhas atividades e ela, vice versa (segundo ela me diz...kkkkkk!!!!).


Lembra daquele capítulo sobre “ficarmos separados”!? Pois bem, algumas vezes, nesses 20 anos, ficamos separados ou morando em separado. Nesse quesito, o ano de 2014 foi bem importante para o nosso relacionamento. Talvez tenhamos passado a nossa maior provação: estávamos morando juntos fazia uns 4 anos e tudo estava ótimo.

Entre outras coisas, eu tive a oportunidade de ir trabalhar longe (Porto Velho - 3500 km de Porto Alegre). Fiquei receoso de ir, pois não sabia como era lá nem quanto tempo ficaria, qual seria o tamanho do desafio... etc, etc.. Num primeiro momento recusei. Fiquei meio que sem saber como proceder (talvez pudesse ser uma boa ideia e uma porta que poderia se abrir). Por outro lado, teria que ir sem a Márcia (pois ela já estava muito bem estabelecida no emprego dela). Mas, para minha surpresa (ou não, pois já a conheço bem!) quem me incentivou a ir e disse: "depois a gente vê!"? Sim, a Márcia me estimulou a ir e disse que seria ótimo para minha formação profissional e crescimento/maturidade pessoal!!!

Como não ser apaixonado por ela!!?? A pessoa que mais a gente ama é assim: estimula, torce, repreende, aconselha para o melhor...sempre!

Assim, em agosto de 2014 fui para Porto Velho - fiquei na casa de meu irmão que me ajudou muito no período em que fiquei lá (até fevereiro de 2015). Se valeram os conselhos dela!? Sim, muito. Foi uma das melhores experiências pessoais e profissionais que tive... Abriu muitas portas e me "encontrei" na minha atividade profissional!


Foi um período curto, pois em fevereiro de 2015 voltei para trabalhar "perto de casa", pois me chamaram para trabalhar em Santa Cruz do Sul. Agora estávamos perto um do outro novamente.








Nosso Casabodas foi muito lindo, intenso e emocionante e ficará para sempre em nossa lembrança! Foi um momento tão legal, que quando a gente lembra, se emociona (novidade...kkkk). Após o Casabodas, ficamos ainda mais parceiros e unidos; mais certos de que tínhamos feito a escolha certa e no tempo certo.


Após 20 anos, aqui chegamos certos de que nossas escolhas foram recompensadas e nossa “parceria” tem se renovado ao longo destes anos. Agora, fechamos com chave de ouro este capítulo de nossa história e abrimos outro, sempre com muito companheirismo, amizade e amor.

Chico e Márcia.







Que linda história né pessoal? 

Nós escolhemos eles como a primeira postagem de 2018 aqui no blog! 

Esse ano será muito especial para nós porque o estúdio também está completando um aniversário que tem cara de bodas, 

e se fosse uma bodas de casamento seria Bodas de Prata: 25 anos de amor pelos casamentos e pela fotografia!

Esperamos celebrar muito tudo o que tem por vir ao lado de vocês!


Fotografias: Beth Esquinatti, Nei Bernardes e Aline Evelin

Edição: Aline Evelin e Katiane Schmitt